Guerra da Cisplatina

Guerra da Cisplatina
Gravura de Debret retratando a Guerra da Cisplatina: embarque, na Praia Grande, das tropas que participaram do combate na cidade de Montevidéu.

Atual região do Uruguai, a Colônia do Sacramento foi fundada por Portugal em 1680, porém acabou passando a ser de domínio espanhol após o Tratado de Madri, em 1777. De fato, a mesma era objeto de cobiça dos dois países há muito tempo (o Tratado de Madri foi um dos resultados dessa disputa), uma vez que ter o controle sobre a entrada do Rio da Prata era uma estratégica vantagem militar.

Durante o período joanino, D. João VI iniciou um processo de ocupação da região. Podemos citar dois motivos básicos para isso. Primeiramente, a Espanha estava dominada pelo exército de Napoleão e D. João VI temia que o território se transformasse na porta de entrada das forças francesas na América do Sul. Além disso, como sua esposa era irmã do rei espanhol Fernando VII, o rei português acreditava ter o direito de assumir o controle daquelas terras.

Em 1820, D. João VI avançou sobre a região e a proclamou como a nova Província da Cisplatina. Entretanto, toda aquela localidade já havia sido fortemente influenciada pelos costumes, cultura e idioma dos hispânicos entre os séculos XVI e XVIII, realidade que provocou um notável desconforto da população local para com a colonização lusitana. Para se ter uma ideia, os habitantes da região sequer sabiam falar a língua portuguesa.

Essas diferenças culturais geraram um clima de revolta. Apoiadas pelos argentinos em 1825, várias lideranças locais declararam um termo que proclamava a independência da Cisplatina. Embora a Argentina tenha apoiado o movimento separatista, sua real pretensão era, no fim das contas, anexar tal região.

O levante gerou indignação em D. Pedro I, o qual declarou guerra à Argentina e aos colonos descontentes. Ao longo de três anos, a Guerra da Cisplatina se resumiu a diversas pequenas batalhas. A falta de um exército bem organizado e os altíssimos gastos com a guerra, fato que gerou o descontentamento da população brasileira, obrigaram D. Pedro I a reconhecer a independência da Cisplatina.

Em 1828, o Brasil assinou o Tratado de Montevidéu. Conduzido pela Inglaterra e pela França, o mesmo estabelecia a criação do Estado Oriental do Uruguai. A Guerra da Cisplatina foi uma das principais causas para a abdicação de D. Pedro I em 1831, uma vez que sua situação perante a opinião popular se tornou insustentável.

Saiba mais: Período JoaninoEra Napoleônica Guerra dos Farrapos

Deixe um comentário

avatar