Governo Epitácio Pessoa

Governo Epitácio Pessoa
O governo Epitácio Pessoa ficou marcado por graves ameaças ao poder das oligarquias.

Representante dos cafeicultores, o paraibano Epitácio Pessoa assumiu a presidência a partir de 1919, após vencer a disputa eleitoral contra o intelectual Rui Barbosa. Embora essa vitória tenha sido mais uma consequência do poder político das oligarquias, o governo Epitácio Pessoa ficou marcado por graves ameaças à hegemonia desses grupos.

A expansão do setor industrial brasileiro e a crescente força da classe operária, grande parte formada por imigrantes europeus, resultaram em agitações sociais que denunciavam as péssimas condições de trabalho e questionavam a ordem política vigente que só beneficiava os cafeicultores. O governo Epitácio Pessoa logo tratou de combater tal movimento, colocando-o no campo da ilegalidade por meio da Lei de Repressão ao Anarquismo, em 1921.

Entretanto, tal medida não surtiu efeito. Influenciadas pelas ideologias do Socialismo trazidas pelos imigrantes, as lideranças do movimento operário brasileiro passaram a acreditar que era necessária uma revolução proletária no Brasil, aspecto que resultou na criação do Partido Comunista Brasileiro, em 1922.

Além disso, no mesmo ano um grupo de artistas, escritores e intelectuais se reuniram em São Paulo em um movimento que contestava a mentalidade artística e os padrões literários da época. Direta ou indiretamente, a Semana da Arte Moderna foi mais uma contestação à realidade brasileira da República Velha.

Também em 1922 temos um importante movimento de cunho militar que, novamente, ia contra o modelo das oligarquias e pedia uma maior participação dos militares na política: a Revolta do Forte de Copacabana, na qual um grupo de jovens militares – os tenentes – se articulou para exigir novas eleições.

Mesmo com toda a agitação política que o Brasil vivia em prol do fim da hegemonia das oligarquias, estes grupos acabaram conseguindo emplacar mais um de seus representantes, o mineiro Artur Bernardes, ao poder.

Tenentismo Café-com-LeiteGoverno Artur BernardesRepública Oligárquica

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments