História do Xadrez

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Xadrez

O xadrez é um dos jogos de tabuleiro mais famosos da atualidade. Acredita-se que cerca de 605 milhões de pessoas em todo o mundo o praticam; destas, 7,5 milhões são filiadas a federações de mais de 160 países. A origem do jogo é um dos temas mais controversos entre os historiadores. Não são poucas as teorias que tentam explicar como o xadrez surgiu; até contos mitológicos são associados à criação do mesmo.

A hipótese mais aceita é a de que o jogo tenha se originado na Índia, por volta do século VI. O xadrez primitivo era chamado de “chaturanga”, uma palavra que significava algo como “o jogo do exército”. Por meio das viagens dos comerciantes indianos, o mesmo acabou se difundindo pela Pérsia e até mesmo pela China. Um dos primeiros registros da prática do xadrez, inclusive, foi o poema persa Karnamak-i-Artakhshatr-i-Papakan.

Após a conquista da Pérsia pelos árabes durante o século VII, ocorreu uma grande assimilação do jogo pelos islâmicos, os quais acabaram o valorizando grandemente e o difundindo pelo norte da África. E foi a partir daí que o xadrez chegou à Europa: pelo contato cultural criado pelas Cruzadas e pela invasão muçulmana à Península Ibérica a partir do século VIII. Desta forma, no século X o jogo já havia se espalhado por toda a Europa, até mesmo em regiões mais distantes, como Escandinávia e Islândia.

E fora no velho continente que o xadrez sofreu grandes modificações: ocorreu a inclusão da Dama e do Bispo, os peões passaram a andar duas casas na primeira rodada e estas começaram a ser pintadas em diferentes cores para facilitar a visualização das jogadas. É de se imaginar que o jogo passou a ser um dos passatempos preferidos dos reis e de toda a aristocracia.

A popularização do xadrez levou à criação do primeiro torneio de xadrez, ocorrido em Londres, em 1851. Mais tarde, em 1924, foi fundada a Federação Internacional de Xadrez (FIDE), na cidade de Paris.

Saiba mais: CruzadasCivilização Persa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *