Período Joanino

Período Joanino
O período Joanino foi marcado por importantes obras de infraestrutura, como estradas e portos.

Após a desobediência de Portugal ao Bloqueio Continental, decreto feito por Napoleão Bonaparte que proibia toda nação de ter relações comerciais com a Inglaterra, os próprios ingleses sugeriram a transferência da corte portuguesa para o Brasil. Para fugir de uma possível invasão francesa, os portugueses fugiram para a colônia do outro lado do Atlântico, sob a escolta dos navios ingleses.

No meio do caminho, em virtude de condições climáticas ruins, o grupo acabou sendo separado. Parte dos navios chegou a Salvador, enquanto a outra desembarcou no Rio de Janeiro. Finalmente, em março de 1808, a corte portuguesa foi instalada nas terras fluminenses.

Entretanto, logicamente a ajuda da Inglaterra tinha um preço. Como os ingleses escoltaram os membros da corte na fuga para o Brasil e, além disso, se comprometeram a lutar pelo território de Portugal contra as tropas de Napoleão, requisitaram a Dom João a adoção de certas medidas de cunho econômico.

A primeira grande medida imposta foi a abertura dos portos brasileiros às nações amigas de Portugal, política que passou a valer logo a partir de 1808. Além disso, os ingleses queriam taxas alfandegárias especiais para seus produtos. Enquanto um produto estrangeiro pagava uma taxa de 24%, uma mercadoria inglesa passaria a pagar algo em torno de 15%.

Tais propostas resultaram em uma verdadeira invasão de produtos ingleses no mercado brasileiro, realidade que trouxe grandes lucros à Inglaterra. Embora as cidades portuárias brasileiras tenham se desenvolvido significativamente com isso, tal fato atrapalhou o crescimento industrial no Brasil.

O governo de Dom João VI também foi marcado por importantes melhorias na infraestrutura da colônia, como a construção de estradas, portos e inúmeras obras públicas. Foi durante o Período Joanino que foram fundados o Banco do Brasil, a Biblioteca Real, o Jardim Botânico, a Casa da Moeda e a Academia Real Militar.

Após o Brasil ter sido elevado à condição de Reino Unido a Portugal e Algarves em 1815, surgiu em Portugal uma forte insatisfação popular. Os portugueses queriam que a corte fosse transferida novamente para Lisboa e exigiam a volta de Dom João VI, uma vez que, com a derrota definitiva de Napoleão, não havia mais o porquê de sua permanência na colônia.

Com receio de perder o poder, Dom João VI se viu obrigado a retornar a Portugal em 1821, deixando seu filho, D. Pedro, como príncipe regente do Brasil.

Saiba mais: Era Napoleônica – Período Regencial 

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz