História do Perfume

História do Perfume
A história do perfume se inicia ainda na Antiguidade.

Os perfumes estão presentes no cotidiano das pessoas desde a Pré-História. Sabe-se que o homem primitivo já utilizava madeiras e resinas para melhorar o cheiro dos alimentos. No Antigo Egito, foram desenvolvidas diversas substâncias aromatizantes de uso religioso, como incensos e óleos perfumantes. Na própria Bíblia Sagrada, há uma passagem em que Deus manda Moisés fazer um incenso perfumado.

Após a contribuição das primeiras civilizações, os gregos tiveram um papel fundamental, pois passaram a trazer perfumes para o uso medicinal provenientes de diversas partes do mundo durante suas expedições. Os árabes também foram essenciais na evolução da história do perfume, pois foram estes os criadores do alambique, equipamento que tornou possível a realização da destilação de matérias-primas.

No século XII, por meio das Cruzadas, o perfume penetrou na Europa, passando a ser usado em larga escala, seja na higiene pessoal ou durante os banhos públicos. Em 1370, o primeiro perfume à base de álcool foi feito especialmente para a rainha da Hungria, Elizabeth. A partir do século XVII, os aromatizantes se tornaram objetos de requinte em todo o velho continente, sendo destinados unicamente à nobreza (reis, rainhas e altos funcionários).

Posteriormente, com o progresso da química, realidade que permitiu a reprodução artificial de cheiros encontrados na natureza, o perfume ficou mais acessível e deixou de ser um objeto das elites. Hoje em dia, o mesmo é um produto essencial até mesmo para aqueles que não são tão vaidosos, tendo se tornado um símbolo de bom gosto, autoestima e sociabilidade.

Saiba mais: Pré-HistóriaEgípciosGregosCruzadas

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *