História da Páscoa

Páscoa
A comemoração da Páscoa é mais antiga do que se imagina.

Páscoa (do hebraico pessach, passagem) é uma das mais importantes datas para os cristãos. Segundo a Bíblia, Jesus Cristo foi morto na cruz para salvar a humanidade e, após três dias, ressuscitou.

A Páscoa cristã é comemorada no primeiro domingo após a primeira Lua cheia da Primavera, ou seja, entre 22 de Março e 25 de Abril. Tal data foi estabelecida pela Igreja no primeiro concílio de Niceia, no ano de 325.

Passagem, o que é isso?

Este é, justamente, o sentido da Páscoa para os judeus. Para eles, a data é a celebração da libertação do povo hebraico da escravidão do Egito. Toda a história se encontra no livro de Êxodo, no Velho Testamento. Segundo a Bíblia, Deus abriu uma passagem no Mar Vermelho para o povo hebreu passar e fugir dos egípcios. É aí que está o sentido da palavra pessach.

A Páscoa nas antigas civilizações

Para alguns historiadores, a comemoração é mais antiga do que se imagina. Segundo eles, muitos povos realizavam festividades para marcar o fim do inverno e o início da primavera. No entanto, é claro que o sentido destas comemorações não tinha nada a ver com o da Páscoa cristã ou judaica.

E o coelhinho? E os ovos?

O coelho foi associado à Páscoa pelo fato de ser ao longo da história um símbolo de fertilidade, esperança e vida. Esse simbolismo por trás da figura do coelho é muito antigo, tendo se originado ainda na época das primeiras civilizações. Já o hábito de trocar ovos surgiu na Europa, entre os cristãos primitivos.

Os ovos eram presentes que simbolizavam o surgimento de uma nova vida, a ressurreição. Entretanto, estes ovos não eram comestíveis, muito menos de chocolate. Essa deliciosa tradição surgiu bem mais tarde, na França. No Brasil, as figuras do coelhinho e dos ovos foram trazidas por imigrantes alemães no final do século XVII.

Saiba mais: Civilização HebraicaCivilização Egípcia

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz