Natal

Natal
Pode-se dizer que a escolha da data do Natal foi uma “cristianização” de certas tradições pagãs romanas.

O Natal é uma das mais universais datas comemorativas que existem. Em todo o mundo, as pessoas comemoram o nascimento de Jesus Cristo, figura central do Cristianismo. Um exemplo claro da importância do significado da data é que a mesma marca a divisão da história em dois períodos: antes e depois de Cristo, fato importantíssimo, especialmente para o mundo ocidental.

Entretanto, o Natal não é necessariamente algo cristão. Podemos enxergar os mesmos valores da data, ou seja, o significado de renovação e esperança na cultura de certos povos da Antiguidade, como os mesopotâmicos, por exemplo. Outro fato que devemos citar é que no dia 25 de dezembro os romanos celebravam o nascimento do Deus Sol. A festa se chamava Natalis Solis Invcti (O Nascimento do Sol Invencível).

Desta forma, podemos dizer que o Natal foi fruto da oficialização do Cristianismo no Império Romano. Em outras palavras, os romanos “cristianizaram” certas tradições pagãs remotas. Como a Bíblia não cita a data exata do nascimento de Jesus Cristo, as autoridades religiosas cristãs estabeleceram – claramente influenciadas pela cultura romana – o 25 de dezembro. A data foi oficializada pelo Papa Julius I no ano de 350 d.C.

Não se sabe exatamente como eram as primeiras comemorações de Natal, mas é provável que desde aquela época o hábito de trocar presentes já era uma realidade. De qualquer forma, com a propagação do cristianismo por toda a Europa, as celebrações natalinas foram ganhando costumes e assimilando elementos culturais de outros povos, com destaque para os nórdicos: foram estes que criaram as tradições das árvores de natal, da decoração colorida e do famoso presunto (ou peru) da ceia.

Saiba mais: Civilização MesopotâmicaImpério Romano

Deixe um comentário

avatar