Império Bizantino

Império Bizantino
No Império Bizantino, o imperador agia como um César (comandante político e militar) e um Papa (autoridade religiosa máxima) ao mesmo tempo.

O Império Bizantino representou a continuação tardia do Império Romano durante a Idade Média. Em seu apogeu (séc. VI), compreendia a Península Balcânica, Ásia Menor, Oriente Médio e o norte da África, especialmente o Egito. Por sua localização geográfica estratégica, entre o Ocidente e Oriente, e entre o Mar negro e o Mediterrâneo, os bizantinos se beneficiaram de um ativo comércio marítimo e terrestre. Sua capital, Constantinopla, apresentava-se como um grande centro de produção artesanal, especializado em artigos de luxo, tecidos, tapetes e vidros. A moeda bizantina tinha um valor extraordinário na época, sendo a mais aceita no mercado mediterrâneo.

Ao contrário da Europa ocidental, o Império Bizantino tinha uma administração fortemente centralizada, fazendo valer sua autoridade no âmbito político, militar e religioso. Tal concentração de poder é denominada de política cesaropapista, isto é, o imperador agia como um César (comandante político e militar) e um Papa (autoridade religiosa máxima) ao mesmo tempo. No entanto, tal sistema não era bem aceito por parte da população, que simplesmente rechaçava a ideia de Cristo com uma natureza humana. Os monofisistas, como eram chamados, acabaram sendo perseguidos pelo governo.

A partir do século XVII, as ofensivas árabes e turcas levaram à queda de Constantinopla em 1453, importante fato que é considerado o marco do fim do período medieval.

A cultura bizantina era composta por uma mistura de traços culturais de diversos povos, especialmente dos gregos. Nas artes, destaca-se a produção de mosaicos. Atualmente, é possível encontrar notáveis exemplos da arte bizantina nas cidades de Veneza e Ravena.

Os bizantinos também são conhecidos por suas contribuições para o Direito. O imperador Justiniano determinou a seus legisladores a reunião de todas as leis e decretos de Roma em uma única obra: o Corpus Juris Civilis, também conhecido como Código de Justiniano. É justamente tal apanhado de leis que serve de base para o conhecimento do direito Romano, base de todo o Direito Ocidental.

Saiba mais: Civilização RomanaArte Bizantina

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
andreia aparecida martims vitor Recent comment authors
mais recentes mais antigos mais bem votados
andreia aparecida martims vitor
Visitante
andreia aparecida martims vitor

oi gente minha filha mais velha de 11 anos esta copiando esse texto desde ontem a noite.