História da Moeda

História da Moeda
A história da moeda se inicia com o escambo, a troca direta de mercadorias.

Na Antiguidade, com a fixação do homem na terra e o fim do estado de nômade, este passou a produzir (plantar, caçar) e a trocar o excedente do que produzia. Desta forma, surgiu o primeiro conceito de comércio: o escambo, o qual consistia na troca direta de mercadorias.

A história da moeda se desenvolve como uma consequência natural desse processo de trocas de bens e serviços. O estabelecimento do uso de moedas foi uma tentativa de organizar e estabelecer padrões do comércio de produtos, além de substituir a simples troca de mercadorias, a qual era predominante. No entanto, primeiramente foram adotadas determinadas mercadorias de grande procura como padrão monetário (tantos sacos de sal ou tantas cabeças de bois, por exemplo).

O metal começou a ser usado um pouco mais tarde, a partir da constatação de sua maior facilidade no transporte e mensuração dos valores, sem contar seu claro apelo estético. De fato, há divergências entre os historiadores sobre qual civilização tenha começado a utilizar a moeda. Para alguns, o povo lídio teria começado as atividades comerciais com o uso de moedas no século VII a.C. Já para outros, bem antes deste período, a China já utilizava tal mecanismo.

Nos primeiros séculos de utilização das moedas, estas tinham um valor real, ou seja, representavam fielmente seus valores de acordo com o metal que era usado na fabricação. Após certo tempo, os valores passaram a ser apenas nominais.

Atualmente, cada país possui sua própria moeda, que por razões de emissão e controle dos Bancos Centrais – além de uma série de outros fatores – possuem valores diferentes.

Idade AntigaHistória dos BancosHistória do Dólar História do Euro

7 comments

  1. Boa noite. Estou desenvolvendo um trabalho de faculdade e o conteudo desta publicação será muito util pra mim, porem preciso do autor e data de publicação. Por gentileza, podem me ajudar com essas informações? É de grande importancia para mim. Grande abraço

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *