História da Matemática

História da Matemática

Aprox. 30000 a.C.: Povos paleolíticos na Europa central e França registram ‘números’ em ossos.

Aprox. 25000 a.C.: Desenhos geométricos rudimentares são usados.

Aprox. 5000 a.C.: Um sistema decimal está em uso no Egito.

Aprox. 4000 a.C.: Calendários babilônicos e egípcios em uso.

Aprox. 3400 a.C. Os primeiros símbolos para os números estão em uso no Egito.

Aprox. 3000 a.C. O ábaco é desenvolvido no Oriente Médio e em áreas do Mediterrâneo. Um objeto parecido com o mesmo é usado na China. Babilônicos começam a utilizar um sistema de numeração sexagesimal para registrar transações financeiras. É um sistema posicional, porém sem uma posição de valor zero.

Aprox. 2770 a.C. Calendário egípcio em uso.

Aprox. 2000 a.C. Harappans adota um sistema decimal uniforme de pesos e medidas.

Aprox. 1950 a.C. Babilônicos resolvem a equação quadrática.

Aprox. 1900 a.C. O Papiro Moscou (também conhecido como Papiro Golenishev) é escrito. Ele contém detalhes da geometria Egípcia.

Aprox. 1850 a.C. Babilônicos conhecem o teorema de Pitágoras.

Aprox. 1800 a.C. Babilônicos usam tabelas (tábuas) de multiplicação.

Aprox. 1750 a.C. Os babilônicos resolvem equações algébricas lineares e quadráticas, compilam tábuas de raízes quadradas e cúbicas. Usam o teorema de Pitágoras e matemática para estender o conhecimento de astronomia.

Aprox. 1700 a.C. O Papiro Rhind (também conhecido como Papiro Ahmes) é escrito. Esse papiro mostra que os egípcios desenvolveram muitas técnicas de solução de problemas. Multiplicação é baseada em repetição de duplicações, e divisões em sucessivas divisões por dois.

Aprox. 1360 a.C. Um sistema decimal sem zero começa a ser usado na China.

Aprox. 1000 a.C. Chineses usam tábuas de contagem para calcular. Aprox. 800 a.C. Baudhayana é o autor de uma das mais antigas sulbasutras indianas.

Aprox. 750 a.C. Manava escreve uma Sulbasutra.

Aprox. 600 a.C. Apastamba escreve a sulbasutra mais interessante do ponto de vista da matemática.

Aprox. 575 a.C. Tales de Mileto traz o conhecimento babilônico para a Grécia. Ele usa geometria para resolver problemas como o cálculo da altura de pirâmides e as distâncias de embarcações até a costa.

Aprox. 540 a.C. Um sistema de contagem que se utilizava de pauzinhos aparece na China em 530 a.C.

Aprox. 500 a.C. O sistema numérico sexagesimal babilônico é usado para registrar e predizer a posição do Sol, da Lua e dos planetas.

Período entre 500 a.C. e 1 d.C.

Aprox. 465 a.C. Hippasus escreve sobre uma esfera de 12 pentágonos, a qual deve se referir ao dodecaedro.

Aprox. 450 a.C. Os gregos começam a utilizar numerais escritos. Zenão de Eléia apresenta seu paradoxo.

Aprox. 440 a.C. Hipócrates de Cós (ou Chios) escreve Elementos, a primeira compilação de elementos da geometria.

Aprox. 430 a.C. Hípias de Elis inventa o quadratrix, do qual ele pode ter se utilizado para triseccionar um ângulo e calcular a quadratura do círculo.

Aprox. 425 a.C. Teodoro de Cirene demonstra que certas raízes quadradas são irracionais. Isso já foi demostrado anteriormente mas não se sabe por quem.

Aprox. 400 a.C. Babilônicos usam um símbolo para indicar uma casa vazia em seus registros numéricos de escrita cuneiforme.

387 a.C. Platão funda sua Academia em Atenas.

Aprox. 375 a.C. Arquitas de Tarento desenvolve a mecânica. Estuda o problema clássico de duplicação do cubo e aplica a teoria matemática à música.

Aprox. 360 a.C. Eudoxo de Cnidus desenvolve a teoria da proporção e o método da exaustão.

Aprox. 320 a.C. Eudemo de Rodes escreve a História da geometria.

Aprox. 300 a.C. Euclides passa um desenvolvimento sistemático da geometria em seu ‘Stoicheion’ (‘Os Elementos’). Também escreve as leis de reflexão em ‘Catoptrics’ (do grego ‘kátoptron’, espelho).

Aprox. 290 a.C. Aristarco de Samos utiliza um método geométrico para calcular a distância do Sol e da Lua à Terra.

Aprox. 250 a.C. Em ‘Da Esfera e do Cilindro’, Arquimedes mostra a fórmula para o cálculo de volume da esfera e do cilindro. Em ‘A medida do círculo’, ele mostra uma aproximação do valor do ‘pi’. Em ‘Dos corpos Flutuantes’, apresenta o conhecido Princípio de Arquimedes e começa os estudos de hidrostática. Escreve trabalhos em geometria bi e tridimensional, estudando círculos, esferas e espirais.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz