História do Espelho

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Espelho

Embora os espelhos sejam objetos bastante comuns em nosso dia-dia, sua história nos mostra que os mesmos nem sempre foram assim. Pelo contrário, pode-se dizer que o uso massificado destes objetos é relativamente recente, ainda mais se levarmos em conta a necessidade do ser humano em se auto avaliar, algo intrínseco ao homem desde o surgimento das primeiras civilizações.

Acredita-se que a primeira forma que o homem encontrou de ver sua própria imagem foi por meio do reflexo da água. Já em relação aos espelhos em si, é válido dizer que o primeiro objeto criado para este fim foi construído na Idade do Bronze, em 3000 a.C: povos da atual região do Irã começaram a polir pedras com areia, de forma que refletisse a imagem projetada, mesmo que de forma bastante desfocada.

A precariedade dos espelhos da antiguidade foi resolvida após o desenvolvimento de uma técnica que se baseava na junção de placas de metal e grandes camadas de vidro. Esta, originada na Veneza durante o século XIII, permitiu uma significativa melhoria na nitidez dos objetos.

Se hoje é possível ver espelhos por todos os lados e compra-los por preços acessíveis a qualquer um, durante a Idade Média os mesmos só podiam ser vistos nos palácios. De fato, com a quantia que se pagava por um espelho simples era perfeitamente possível comprar um imponente navio de guerra, por exemplo. Essa situação só mudou com a produção em massa do objeto gerada pela Revolução Industrial, no século XIX, aspecto que reduziu drasticamente o preço dos espelhos e aproximou tal realidade à que vivemos hoje em dia.

Saiba mais: Idade dos MetaisIdade MédiaRevolução Industrial

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *