facebooktwittergoogle_plusmail

Dólar

O dólar americano é uma das moedas mais importantes no mundo. Atualmente, sua hegemonia é incontestável, já que é usada na adoção de reservas internacionais por Bancos Centrais de inúmeros países e como referência em qualquer negócio em nível global. Entretanto, nem sempre foi assim. Na verdade, a hegemonia da moeda norte-americana é relativamente recente, pois só se deu após o fim da Segunda Guerra Mundial.

O dólar foi criado a partir da necessidade de criação de uma moeda que fosse capaz de financiar a Guerra da Independência dos Estados Unidos, em 1776, e fomentar a nova nação. Assim, em 1786, o Congresso Continental das já independentes 13 colônias aprovou o dólar como moeda nacional. O nome dollar vem da palavra thaler, uma conhecida moeda de prata que circulava na Europa durante o século XV.

Todavia, até a metade do século XIX, período em que a libra esterlina tinha status de moeda internacional, os Estados Unidos eram considerados devedores de pouca credibilidade no cenário internacional e, ao contrário da maioria dos países europeus, não havia em sua Constituição nenhuma lei que desse ao Estado o controle exclusivo da emissão de moeda. Esta falta de legislação, inclusive, levou a uma situação caótica, pois propiciou a existência sem controle de inúmeras formas de pagamento. Para se ter uma ideia, qualquer indivíduo podia abrir um banco e emitir cédulas sem nenhuma autorização ou controle do governo.

A primeira tentativa de unificação dos pagamentos partiu das necessidades de financiamento da Guerra de Secessão, em 1861. Desta forma, o governo passou a emitir notas que, baseadas em sua boa-fé e reputação, poderiam ser convertidas em ouro: as chamadas greenbacks, nome até hoje dado de forma informal ao dólar. A unificação da moeda como forma de pagamento se deu somente em 1863, com o National Banking Act.

Saiba mais: Segunda Guerra MundialIndependência dos EUAGuerra de SecessãoHistória do Euro

Deixe uma resposta