Dia da Independência do Brasil

Dia da Independência do BrasilComemoramos no Dia da Independência do Brasil o fim de nossos laços coloniais com Portugal.

Em 7 de setembro comemoramos o Dia da Independência do Brasil, isto é, a conquista de sua autonomia política e o fim da dependência com Portugal. Mesmo que tal acontecimento não tenha resultado em significativas mudanças sociais e econômicas para o Brasil na época, a data é muito importante para relembrarmos o fim de nossos laços coloniais.

Embora pareça um pouco estranho, podemos afirmar que o dia da independência do Brasil se iniciou com a chegada da Corte Portuguesa, em 1808. Em terras brasileiras, D. João realizou uma série de medidas que, posteriormente, justificariam o desejo da elite brasileira pela independência. A abertura dos portos às nações amigas, a reforma urbanística no Rio de Janeiro, a criação da Academia Militar, do Banco do Brasil e da Imprensa Régia deram ares de metrópole ao Brasil e abriram caminho para o processo da independência.

Até o ano de 1815, a elite portuguesa se sentia abandonada por D. João. Em 1820 se iniciou a Revolução Liberal do Porto, movimento no qual a burguesia pretendia recolocar o Brasil na condição de colônia. Para isso, obrigaram D. João a voltar a Portugal e a jurar lealdade à Constituição por eles elaborada. D. João deixou seu filho, D. Pedro I, como Regente. Nesse momento, parecia que a independência brasileira já era algo inevitável.

D. Pedro I começou a adotar medidas que favoreciam a colônia, como a diminuição dos impostos cobrados pelos portugueses, por exemplo. Tais políticas desagradaram a corte lusitana, que ordenou que o príncipe retornasse a Portugal. A elite brasileira não queria abrir mão daquilo que havia conseguido com a vinda da Corte. Os brasileiros defensores da independência organizaram um grande abaixo-assinado, no qual pediam a permanência de D. Pedro. Em 9 de janeiro de 1822, o príncipe proclamou a célebre frase: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico.” Esse capítulo ficou conhecido como o Dia do Fico.

Posteriormente, D. Pedro I estabeleceu uma medida que deixou sua relação com Portugal insustentável: nenhuma ordem vinda dos lusitanos seria cumprida sem sua aprovação. Em setembro de 1822, Portugal deu o ultimato: sob a ameaça militar, exigiu que o príncipe voltasse imediatamente (e abandonasse a ideia da independência). Ao saber disto, D. Pedro I declarou a independência do Brasil às margens do rio Ipiranga: “Independência ou Morte!”.

Saiba mais: A Corte no BrasilPeríodo Joanino

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz