História da Cama

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Cama

É de se imaginar que antes do surgimento das camas, o homem pré-histórico deitava e dormia no próprio chão. Também é fácil a percepção de que o ambiente das cavernas úmido e frio, os perigos naturais da picada de um animal peçonhento rastejante, o desconforto, entre outras desvantagens foram motivos naturais para a criação de um local mais apropriado para o descanso.

Os registros mais remotos do uso de camas, mesmo que de formas arcaicas, foram encontrados nas civilizações egípcia e mesopotâmica. Os egípcios, por exemplo, utilizavam espécies de camas dobráveis de madeira. Este luxo, claro, era destinado apenas aos faraós e seus altos funcionários.

Uma curiosa constatação sobre o uso destes móveis ao longo da história nos leva à civilização dos romanos, os quais passaram a adotar camas semicirculares, postas ao redor de mesas, pois costumavam fazer suas refeições em seus próprios leitos.

Foi só na Idade Média que as camas começaram a ser colocadas em aposentos mais privados, como nos quartos. Os europeus, devido ao inverno rigoroso do velho continente, adotaram uma proteção que os persas já haviam desenvolvido anteriormente: o dossel, uma espécie de cortina apoiada por colunas de madeiras que todos nós já vimos nos filmes de reis e rainhas. Já as camas de ferro começaram a ser produzidas a partir do século XVIII, com uma forte propaganda de que finalmente as pessoas poderiam dormir sossegadas, sem o incômodo de insetos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *